Sexta, 23 de Julho de 2021
67 99679-8975
Esportes OLIMPÍADAS

Mais leve e autêntica, Marta inicia Olimpíada com gols e sem pressão: ''Tiro a coroa para jogar''

Camisa 10 do Brasil apresenta no Japão versão solidária, apaixonada e sem o peso nas costas de outros tempos: ''O peso não tem que estar sobre as pessoas que sempre ignoraram a modalidade''

22/07/2021 07h06
Por: Redação Fonte: GE
FOTO DIVULGAÇÃO GE
FOTO DIVULGAÇÃO GE

Desta vez, é uma versão diferente das outras quatro Olimpíadas que Marta disputou pelo Brasil. Não se trata mais da jovem estreante fora de série e nem da então melhor do mundo carregando o peso por resultados. Se trata de uma versão que entende seu tamanho, sua história e que parece sem receio diante dos holofotes que um grande evento traz.

Após dois gols sobre a China na goleada por 5 a 0 na estreia nos Jogos Olímpicos, nesta quarta-feira, a Rainha falou sobre sua faceta cada vez mais autêntica. Uma Marta que se cobra menos.

- Eu tiro coroa pra jogar, né, pra não pesar muito (risos). Acho que é o conjunto da situação, a gente vem trabalhando há muitos anos. Não adianta a gente ficar se cobrando a vida inteira. Se depender da gente, vamos fazer nosso melhor,. Nossa voz tem que ser ouvida, claro, mas sem essa cobrança de ter resultado pra isso ou pra aquilo - disse Marta, ao ser questionada sobre ser uma Rainha sem o peso da coroa.

Com função diferente em campo, segundo a técnica Pia Sundhage, joga cada vez mais para o time. Aos 35 anos, não se importa em carregar mais missões em campo. É o tipo de peso que não a incomoda. Diferentemente do peso que só ela sentiu durante anos defendendo a Seleção.

Eleita seis vezes a melhor do mundo e nome da geração que ganhou duas medalhas de prata (Atenas 2004 e Pequim 2008), Marta lembra do tempo em que se havia mais cobrança do que apoio. E como aquilo refletia nas atletas.

- A gente sentia esse peso porque a cultura do Brasil colocava esse peso nas nossas costas. Hoje a gente entende todo esse processo e absorve aqui de maneira diferente. Então, o peso não tem que estar nas nossas costas, tem que estar sobre as pessoas que sempre ignoraram a modalidade - completou.

Marta leve, solidária e apaixonada

Os Jogos Olímpicos deste ano tem a Marta que canta. Que sorri leve, faz piada. Uma Marta também solidária - ela cedeu a cobrança de pênalti para Andressa Alves no jogo desta quarta-feira. E também uma Marta apaixonada. Depois dos dois gols na estreia, ela comemorou fazendo a letra ''T'' com os braços. Era uma homenagem para a noiva, a também jogadora Toni Pressley.

- Foi para ela sim. Eu costumo fazer gol e comemorar com o ''T''. No primeiro gol não deu muito certo porque as meninas vieram em cima de mim, abraçando e tal. Já no segundo, Deus abençoou e falou: ''Você vai fazer sim um gol pra ela'' - finalizou

O Brasil de Marta volta a campo no próximo sábado, às 8h (de Brasília), em Miyagi, diante da Holanda, pela segunda rodada com transmissão de TV Globo, SporTV e ge.globo. O confronto é válido pelo Grupo F, que também conta com Zâmbia, rival da seleção no último jogo da primeira fase, dia 27.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.